fbpx

Programa IC Mãos à Obra beneficia família de Dona Renildes

Natal de 2015. A voluntária do Instituto da Criança Dalvirene Pontes – mais conhecida como Dalva – participava de um movimento chamado Amor em Ação. A iniciativa visa doar mensalmente cestas básicas a famílias que tenham crianças com deficiência. Assim, Dalva conheceu Dona Renildes, mãe de 6 filhos e avó, moradora do Morro do Urubu, em Piedade, Zona Norte do Rio de Janeiro, e doou uma cesta. A doação foi feita do lado de fora da casa, pois segundo Dalva, Dona Renildes ficou com vergonha de mostrar o local onde residia. Um ano passou. Dalva voltou a apadrinhá-la. Dessa vez, com a colaboração de outros amigos. Ao entrar no local, o grupo se deparou com condições extremamente precárias. “O lugar parecia uma caverna. Não havia janelas, nem pisos. Um lugar que chamava de banheiro, mas nada se parecia como tal, pois só tinha um buraco no chão de barro e um balde que usavam pra fazer as necessidades”, revela Dalva.

Dona Renildes mora com 2 filhos: Luana e Leandro – mais conhecido como Leandrinho, de 14 anos. O adolescente necessita de acompanhamento regular em terapias como fonoaudiologia, fisioterapia, terapia ocupacional e psicologia. Por isso, Dona Renildes não trabalha, pois precisa cuidar integralmente de Leandrinho, que necessita de cuidados de terceiros para todas as atividades do dia a dia.

A casa de Dona Renildes apresentava inúmeras necessidades. Com isso, o Instituto da Criança, por meio do Programa IC Mãos à Obra, apoiou na construção de uma nova casa para que ela e seus filhos pudessem viver de maneira digna com saúde e bem estar. Desta forma, as seguintes intervenções foram identificadas: estrutura, alvenaria, cobertura e acabamento. O programa tem como objetivo realizar reformas ou construções de residências e instituições sociais proporcionando bem-estar com dignidade para pessoas em grave situação de vulnerabilidade financeira.

Dalva ficou muito constrangida ao conhecer a situação de Dona Renildes e sua família: “Não conseguia tirar da minha mente a cena daquela criança debilitada vivendo em um lugar tão precário. O incômodo continuava. Foi então que falei com uma assistente social e expliquei a situação. Perguntei se me permitia usar o espaço para que pudesse realizar um bazar. No mesmo instante, ela autorizou. A partir daí, acionei amigos, amigos acionaram outros amigos e o Instituto da Criança participou abraçando a causa. A alegria dessa família em ter recebido uma moradia digna foi grande, porém melhor ainda foi o que vivenciamos: a experiência de amor como essa não tem igual”, revela.

Dona Renildes agradece a iniciativa: “Muito obrigada, Instituto da Criança e a todos que colaboraram. Hoje, moramos em uma casa nova com 2 quartos, banheiro e cozinha. Estou muito feliz!”

Compartilhe!